Ação da Rede Biomar, liderada pelo Projeto Coral Vivo, mobilizou 1874 voluntários e coletou mais de 7.600 kg de lixo em várias partes do Brasil


27/09/2022


Com o objetivo de sensibilizar a população mundial acerca da questão do lixo nas praias, o movimento ‘Cleanup Day’ aconteceu em mais de 190 países pelo mundo, no dia 17 de setembro. No Brasil, a ação da Rede Biomar, liderada pelo Coral Vivo, cobriu 153 km e coletou mais de 7.600 kg de resíduos sólidos com apoio de 1874 voluntários.

 

A região Sul da Bahia se destacou. Os 1676 voluntários, de 13 distritos de quatro municípios, que participaram das ações entre campo, praia, rio e mangue recolheram mais de 7mil kg de resíduos sólidos. Os materiais mais encontrados: 30% plástico; 18% vidro; 11% borracha; 11% petrechos de pesca; 9,5% madeira; 9,5% outros (inclui entulho e fraldas); 6% produtos têxteis; 2,5% metal e 2,5% papel nos 137,6 km percorridos. O município de Porto Seguro contou com seis pontos de coleta (Porto Seguro, Arraial d’Ajuda, Trancoso, Curuípe, Caraíva e Aldeia Barra Velha), onde 650 pessoas atuaram na coleta e triagem dos mais de 5mil kg de resíduos sólidos recolhidos em um raio de 105km.

Em Aracajú e Fernando de Noronha, 41 voluntários recolheram mais de 180 kg de lixo e no estado do Rio de Janeiro, a ação realizada em conjunto pelas Redes Biomar e Redagua, das quais o Coral Vivo faz parte, o “Cleanup day” reuniu 155 voluntários que coletaram 149 kg de resíduos sólidos em um raio de 14km.

 

Durante a atividade, os voluntários realizaram a coleta e a triagem (quando o material será classificado registrado e pesado). Os resíduos foram separados em categorias (plástico, metal, borracha etc) e o levantamento será enviado ao Ministério do Meio Ambiente.

 

De acordo com a coordenadora geral do Projeto Coral Vivo, Flávia Guebert “O resultado da ação superou as expectativas e revela o quão necessário nos conscientizarmos para promovermos mudanças em prol de um oceano saudável e um ambiente equilibrado”.

 

Como parte da ação, no dia 15 que antecedeu o evento, o Coral Vivo realizou uma live com a presença de personalidades femininas que falaram sobre a importância do Cleanup Day e da Década do Oceano. Participaram da live Thaís Melo, coordenadora de Educação do Coral Vivo; Natália Grili, secretária executiva da Liga das Mulheres pelo Oceano; Erilza Pataxó, vice-cacica da Aldeia Mãe Barra Velha, localizada na Terra Indígena (TI) Barra Velha, em Porto Seguro (BA); e Thais Rodrigues, analista ambiental chefe substituta NGI ICMBio Alcatrazes – Núcleo de Gestão Integrada do Arquipélago de Alcatrazes (Estacão Ecológica Tupinambás e Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes).

 

No Brasil, 21 projetos do Programa Petrobras Socioambiental participaram da ação e, dentre eles, os cinco projetos da Rede Biomar e da Redagua, em conjunto com o Projeto Coral Vivo, patrocinado pela Petrobras. O evento aconteceu em 13 estados e 37 municípios, de norte a sul do país.

 

 

Sobre o Coral Vivo

Patrocinado pela Petrobras desde 2006, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Coral Vivo trabalha com pesquisa, educação, políticas públicas, comunicação e sensibilização para a conservação e a sustentabilidade socioambiental dos ambientes recifais e coralíneos do Brasil. Concebido no Museu Nacional/UFRJ, hoje é realizado por 13 universidades e institutos de pesquisa. Está vinculado ao Instituto Coral Vivo, que já foi coordenador executivo do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Ambientes Coralíneos (PAN Corais), e segue apoiando a iniciativa.

 

Além disso, o Coral Vivo integra a Rede BIOMAR, junto com os projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Golfinho Rotador e Meros do Brasil. Todos atuam de forma complementar na conservação da biodiversidade marinha do Brasil. O Coral Vivo faz parte também da Rede de Conservação das Águas da Guanabara e Entorno (REDAGUA), que reúne, igualmente, projetos patrocinados pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental. A rede tem como objetivo promover a conservação da biodiversidade, prestação de serviços ecossistêmicos, restauração ambiental, pesquisa, educação ambiental, inclusão social e comunicação na região da Baía de Guanabara e entorno, sendo constituída pelos Projetos Coral Vivo, Guapiaçu, Meros do Brasil e Uçá.

 

As ações do Projeto Coral Vivo são viabilizadas também pelo copatrocínio do Arraial d’Ajuda Eco Parque.

 

OUTRAS NOTÍCIAS