Patrocínio Oficial

Coral Vivo lança Projeto Arraial Sem Plástico em encontro com donos de barracas e colaboradores

Acaba de ser lançado pelo Coral Vivo o Projeto Arraial Sem Plástico. Ele foi apresentado para donos de barracas e seus colaboradores durante o bate-papo “Conversando sobre o Lixo Marinho: O que eu tenho a ver com isso?”, na Praia do Parracho em Arraial d’Ajuda, Porto Seguro (BA). Em fase de estruturação, a ideia é buscar alternativas para diminuir a geração de lixo e melhor gestão dos resíduos sólidos. Cada empreendimento irá trabalhar com o Coral Vivo para a realização da transição. Será dada capacitação à equipe de colaboradores para atendimento ao cliente e toda a ação irá contribuir no processo de conscientização da população.

Essa é a segunda edição do encontro. Alguns empreendimentos já estão adotando essas alternativas e reduzindo a geração de lixo, algumas barracas e restaurantes do Arraial já abandonaram o uso dos canudinhos plásticos, ou trocaram por canudos de papel. A equipe do Coral Vivo irá apoiar essas iniciativas, ampliá-las e incentivar que sejam adotadas por mais comerciantes. Assim, o Projeto Arraial Sem Plástico, visa valorizar ainda mais a Costa do Descobrimento, que é uma das áreas de maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul, que representa um grande atrativo para os turistas, que movimentam a economia local.

Durante o bate-papo, foram apresentadas diferentes iniciativas desenvolvidas pelo projeto através do Programa de Combate ao Lixo Marinho na Costa do Descobrimento do Coral Vivo, realizadas com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, e o copatrocínio do Arraial d’Ajuda Ecoparque.

A equipe do Projeto Coral Vivo, que conta com biólogos e oceanógrafos, falou para o público sobre o impacto que o lixo marinho causa aos organismos vivos, sobretudo os resíduos plásticos, que levam centenas de anos para se degradar. Foi destacado como se dá a geração dos microplásticos, que estão presentes, inclusive, na água potável e mostrado o impacto sobre organismos marinhos que são mortos por plásticos, estrangulados, asfixiados, feridos ou porque se alimentaram do lixo. Até os corais também sofrem dessas consequências, pois acabam ingerindo microplásticos.

O segmento do turismo tem crescido nas últimas décadas e com ele a geração de resíduos como os descartáveis plásticos, canudinhos, copos, talheres, garrafas, sacolas e outros. Precisamos repensar e reduzir o consumo desses materiais, eliminar o seu uso sempre que possível ou adotar alternativas biodegradáveis e reutilizáveis, que já estão disponíveis no mercado. A intenção do Projeto Arraial Sem Plástico, criado pelo Coral Vivo, deve envolver ainda um conjunto de ações, que incluem a separação do lixo, a reciclagem e a melhoria dos métodos de coleta.

Redação Projeto Coral Vivo.