Patrocínio Oficial

Coral Vivo adapta atividades durante a pandemia da Covid-19

Buscando a segurança de todos, o Projeto Coral Vivo está realizando adaptações nas suas ações durante a pandemia da Covid-19, causada pelo novo coronavírus. Algumas ações precisaram ser canceladas, outras adiadas e a maioria está sendo adaptada. A equipe está trabalhando em formato de home office e alguns integrantes estão indo até a base do Coral Vivo para cuidar dos viveiros e do Aquário Recifal do Coral Vivo, em esquema de revezamento, ou realizando os mergulhos para os monitoramentos dos recifes de coral da Costa do Descobrimento (BA). A seguir, um resumo das nossas principais ações neste momento para funcionar diante da chamada “nova normalidade”:

Internet para realizar ações e aproximar

Algumas ações estão sendo adaptadas para o formato online. É o caso do “Encontros com a Sociedade”, que estava previsto para ocorrer com a participação de pescadores da área entre Belmonte e Porto Seguro, incluindo as Bacias Camamu-Almada e Jequitinhonha. Agora ele está sendo ajustado para ser realizado por meio de videoconferência.

Também estão sendo realizadas lives nas redes sociais para a continuidade de contatos com o público. Foi lançado recentemente o livro “Coral Vivo Notícias - Coleção Completa 2007-2020” simultaneamente pelas redes do Projeto Coral Vivo no Facebook e no Instagram. Ele foi apresentado pela coordenadora regional de Comunicação e Sensibilização do Coral Vivo, Thaís Melo. Já a fundadora do Projeto Coral Vivo, Débora Pires, participou de live no Instagram do Museu Nacional/UFRJ apresentando a importância dos recifes de coral e o trabalho desenvolvido pelo Projeto Coral Vivo.

Está programado para o Dia da Biodiversidade, 22 de maio, sexta-feira, às 11h, no Instagram @projetocoralvivo uma live comemorativa sobre a data. O título é “E eu com isso? Panorama sobre o PAN Corais: Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Ambientes Coralíneos”. O fundador do Coral Vivo e coordenador executivo do PAN Corais, Clovis Castro, irá conversar com a coordenadora geral desse documento de pactuação entre diferentes atores institucionais, Roberta Santos. Ela é analista ambiental do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul (Cepsul) do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ambiental do governo brasileiro.

Em junho, está programada a série de lives “Coral Vivando” no Instagram @projetocoralvivo, toda terça-feira, às 19h. Elas estão alinhadas à temática do Mês do Meio Ambiente no Projeto Coral Vivo, que está focada em ciência e saúde nos recifes de coral. Serão abordados temas como mudanças climáticas durante a pandemia, branqueamento de corais, organismos marinhos usados pela indústria farmacêutica, incluindo a minhoca marinha que está sendo estudada para tratamento da Covid-19, entre outros temas. Além disso, serão transmitidas informações pelas redes sociais do Projeto, informando sobre a importância da conservação marinha, da cultura oceânica e destacando que estamos às vésperas da Década da Ciência Oceânica (2021-2030) promovida pelas Nações Unidas.

As equipes do Projeto Coral Vivo estão se reunindo por meio de plataformas de videoconferência, tanto para alinhamento interno quanto para participar de conselhos de meio ambiente, encontros com parceiros, e conferências temáticas . Alguns coordenadores estão sendo convidados também para transmitir conhecimentos sobre conservação marinha em lives nas redes sociais e em webinars.

Cuidados para o distanciamento físico

No final de março, seria realizada a “Expedição Coral Vivo Royal Charlotte”, com uma série de pesquisadores envolvidos para realizar um inédito e preliminar monitoramento biológico do local. Assim que as medidas de segurança e distanciamento social foram divulgadas pela OMS, ele foi adiado. Integrantes da Rede de Pesquisas Coral Vivo, liderados pelo professor Paulo Sumida, da Universidade de São Paulo, irão registrar a fauna e a flora locais, utilizando um veículo submarino operado remotamente, assim que estiver seguro para todos, programado para o mês de agosto de 2020.

As visitas ao Aquário Recifal do Coral Vivo foram suspensas. Ele está localizado no Arraial d'Ajuda Eco Parque, que está fechado desde março por tempo indeterminado, respeitando a saúde e o bem-estar do público. A Base de Pesquisas e Centro de Visitantes do Projeto Coral Vivo fica no parque aquático, em Porto Seguro, no extremo Sul da Bahia. A equipe da região está fazendo vistorias e manutenção dos viveiros e do Aquário. “Estamos com cuidados de segurança para evitar aglomerações e a cada dia trabalhamos com a equipe reduzida, em esquema de revezamento para manter essas estruturas. Todos estão usando máscaras e sendo orientados, além dos cuidados da limpeza do local”, informa a oceanógrafa Flávia Guebert, coordenadora geral do Projeto Coral Vivo.

Os monitoramentos de branqueamento de corais e ambientais dos recifes de coral do extremo Sul da Bahia continuam sendo realizados, sempre seguindo os protocolos de segurança. Todos os meses a equipe coleta dados em três áreas: Recife do Araripe, Mucugê e Parque Natural Municipal do Recife de Fora. Com a série de dados coletados nos mergulhos, a equipe realiza em seguida as análises em formato de home office. Inclusive, os próximos estudantes do Programa de Extensão Universitária do Coral Vivo (Proex) também irão participar realizando as atividades remotamente, da segurança de sua casa.


Redação Projeto Coral Vivo.